07h00 - quarta, 11/05/2022

CLAIM é a "primeira linha" no
apoio aos migrantes em Odemira

CLAIM é a "primeira linha" no apoio aos migrantes em Odemira

Passa pouco das nove da manhã e já o telemóvel de Rosa José tem várias notificações de alerta. São mensagens de migrantes a trabalhar no concelho, sobretudo na agricultura, que recorrem à aplicação WhatsApp para tentar obter junto do CLAIM de Odemira respostas a questões relacionadas, entre outras, com a sua situação laboral ou familiar em Portugal.
"Neste momento, muitas vezes trabalha-se mais assim do que propriamente fazendo atendimentos presenciais", confidencia ao "SW", de telemóvel na mão, Rosa José, técnica da cooperativa TAIPA, a entidade gestora do Centro Local de Apoio à Integração de Migrantes (CLAIM) de Odemira.
"Desde 2014 já vamos perto de 16 mil atendimentos [no CLAIM], o que dá uma média de 200 atendimentos por mês, sendo que alguns são presenciais e outros são à distância. As tecnologias permitem que, através do WhatsApp ou do email, se consiga responder a algumas necessidades desta comunidade", acrescenta Teresa Barradas, vice-presidente da TAIPA.
Estes números demonstram bem o alcance do CLAIM de Odemira, uma das várias iniciativas que a TAIPA dinamiza na área da integração de migrantes. Esta resposta, gratuita, nasceu em 2014 com o objetivo de ser um gabinete "de acolhimento, informação e apoio descentralizado" aos que chegam de foram para trabalhar no concelho, na sua maioria provenientes do Nepal, da Índia e do Bangladesh.
Sem o CLAIM "haveria sempre o risco de desinformação, o que colocaria esta comunidade em situação de maior fragilidade socioeconómica e social em geral. Automaticamente, estariam em maior situação de eventual exclusão social", observa Teresa Barradas.
Para tal implementar o CLAIM foi criado um consórcio, recentemente renovado por mais três anos, que tem a TAIPA como entidade promotora e executora e a Câmara de Odemira e cinco empresas agrícolas e de trabalho temporário enquanto entidades financiadoras. A estas juntam-se ainda quatro juntas de freguesia e duas associações.
A grande particularidade da resposta é a sua itinerância, com atendimento descentralizado em São Teotónio, Longueira/Almograve e Vila Nova de Milfontes, freguesias onde se encontra a maior parte dos migrantes residentes."Sendo o território de Odemira tão disperso em si em termos geográficos, era uma resposta de proximidade que era impensável não existir. Era algo que tinha de acontecer e que é para manter", justifica Teresa Barradas.
Segundo a vice-presidente da TAIPA, este serviço é também "inovador" por tentar, "de todas as vezes" que o protocolo é renovado, "juntar novos parceiros" ao consórcio, "que se vai realmente alargando e sendo uma resposta cada vez mais reconhecida pela comunidade local e migrante neste sentido de primeira linha".
No CLAIM de Odemira os migrantes encontram, entre outros, apoio para tratar da regularização da sua situação de estadia em Portugal e fazer pedidos de reagrupamento familiar ou de nacionalidade, mas a Covid-19 acabou por trazer novas necessidades para esta população.
"Agora têm-se dirigido mais ao CLAIM para questões de apoio social, também para inscrição nas escolas, para procura de emprego e também para questões relacionadas com o acesso à saúde e habitação", revela Teresa Barradas.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - quinta, 23/06/2022
Detido por
tráfico de droga
em Milfontes
Um homem de 27 anos foi detido, no domingo, 19, pela GNR por suspeitas da prática do crime de tráfico de estupefacientes em Vila Nova de Milfontes, no concelho de Odemira.
07h00 - terça, 21/06/2022
Alemão que incendiou
Fluvial Odemirense condenado
O alemão acusado de furto e incendiar as instalações do Clube Fluvial Odemirense, em Odemira, em outubro de 2021, foi condenado nesta segunda-feira, 20, no Tribunal de Beja, a seis anos e seis meses de prisão.
07h00 - segunda, 20/06/2022
Odemirense
sagra-se campeão
distrital da 2ª divisão
A equipa do Odemirense conquistou neste fim-de-semana o título de campeão distrital da 2ª divisão em 2021-2022, depois de já ter garantido o regresso ao "Distritalão" na próxima temporada.
07h00 - segunda, 20/06/2022
Mar "inspira" novos
negócios no Alentejo Litoral
Cada vez mais negócios na costa alentejana tiram proveito do mar e atraem turistas à procura de novas aventuras.
07h00 - segunda, 20/06/2022
Utentes exigem
obras na Extensão
de Saúde de Milfontes
A falta de profissionais e a degradação da Extensão de Saúde de Vila Nova de Milfontes, em Odemira, são criticadas pela comissão de utentes do concelho, que aproveitou a realização da FEITUR para sensibilizar a população para estes problemas.

Data: 17/06/2022
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial