07h00 - segunda, 16/05/2022

Integração de migrantes é uma
"necessidade efetiva" em Odemira

Integração de migrantes é uma "necessidade efetiva" em Odemira

A integração de migrantes representa "mais de dois terços" daquilo que é a área de intervenção social da TAIPA no território de Odemira, reconhece ao "SW" a vice-presidente da cooperativa.
Segundo Teresa Barradas, a instituição está "muito focada na integração de migrantes porque é realmente uma necessidade efetiva do território". "A TAIPA sempre esteve muito atenta e na linha da frente daquilo que são as necessidades" de Odemira, "em articulação sempre com os nossos parceiros financiadores e não-financiadores", acrescenta.
De momento, são vários os projetos da TAIPA nesta área, em que se destaca o CLAIM enquanto gabinete de acolhimento, informação e apoio descentralizado aos imigrantes que afluem ao concelho, "no âmbito do acolhimento e integração, no cumprimento das estratégias definidas a nível nacional e local".
A este juntam-se ainda o projeto "GiraMundo", focado no "diálogo intercultural" enquanto "veículo de integração", e o "ST-E8G", destinado a crianças e jovens entre os seis e os 30 anos, em situação de exclusão e/ou vulnerabilidade social e/ou descendentes de imigrantes.
Mais recente é o projeto "Mulher a uma só voz", para o "empoderamento" de um público "mais invisível", as mulheres imigrantes. "Está a ser um trabalho também muito interessante", reconhece Teresa Barradas.
O GIP Imigrante, que visa apoiar esta comunidade no seu percurso de inserção ou reinserção no mercado de trabalho, é outro dos projetos da TAIPA, que tem igualmente uma equipa de mediadores interculturais para ajudar os imigrantes nos serviços públicos e promove cursos de Português como "língua de acolhimento".
Teresa Barradas explica que em todos estes projetos a TAIPA aposta na "proximidade", uma forma de trabalhar que a pandemia "veio abanar um bocadinho", além de ter, aquando da cerca sanitária em São Teotónio e Longueira/Almograve, trazido à tona "algum desconforto social" entre locais e migrantes.
"Mas aquilo que vejo neste regressar que estamos a ter é que há uma aceitação clara" dos migrantes pela comunidade local, que "tem sido tolerante e respeitosa", diz esta responsável, lembrando que este é um caminho que está a ser percorrido há quase 10 anos.
Ainda assim, conclui, "é claro que vai ser sempre um desafio trabalhar o acolhimento dos dois lados, não apenas de um".


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - quinta, 23/06/2022
Detido por
tráfico de droga
em Milfontes
Um homem de 27 anos foi detido, no domingo, 19, pela GNR por suspeitas da prática do crime de tráfico de estupefacientes em Vila Nova de Milfontes, no concelho de Odemira.
07h00 - terça, 21/06/2022
Alemão que incendiou
Fluvial Odemirense condenado
O alemão acusado de furto e incendiar as instalações do Clube Fluvial Odemirense, em Odemira, em outubro de 2021, foi condenado nesta segunda-feira, 20, no Tribunal de Beja, a seis anos e seis meses de prisão.
07h00 - segunda, 20/06/2022
Odemirense
sagra-se campeão
distrital da 2ª divisão
A equipa do Odemirense conquistou neste fim-de-semana o título de campeão distrital da 2ª divisão em 2021-2022, depois de já ter garantido o regresso ao "Distritalão" na próxima temporada.
07h00 - segunda, 20/06/2022
Mar "inspira" novos
negócios no Alentejo Litoral
Cada vez mais negócios na costa alentejana tiram proveito do mar e atraem turistas à procura de novas aventuras.
07h00 - segunda, 20/06/2022
Utentes exigem
obras na Extensão
de Saúde de Milfontes
A falta de profissionais e a degradação da Extensão de Saúde de Vila Nova de Milfontes, em Odemira, são criticadas pela comissão de utentes do concelho, que aproveitou a realização da FEITUR para sensibilizar a população para estes problemas.

Data: 17/06/2022
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial