16h16 - quinta, 06/06/2019

Já não falta assim tanto para 2100!


Carlos Pinto
Até ao final do século a região do Algarve pode vir a registar mais eventos meteorológicos extremos e uma maior mortalidade devido a ondas de calor, assim como problemas causados por cheias e pelo avanço do mar. Aliás, a subida do nível do mar, o aumento da temperatura e a diminuição dos recursos hídricos são os factores que se prevê que tornem esta região mais vulnerável até ao final do século de acordo com o cenário traçado no Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas (PIAAC), apresentado nesta semana pela Comunidade Intermunicipal do Algarve.
Os dados são relativos ao Algarve mas devem também suscitar apreensão na região do Alentejo Litoral. Afinal de contas, tratam-se de duas zonas contíguas e que, independentemente de algumas realidades específicas em cada uma, partilham o mesmo tipo de problemas, constrangimentos e potencialidades.
Por isso mesmo, há que ter em conta os cenários apresentados pelo PIAAC algarvio e, desde já, começar a atalhar caminho, no sentido de dotar a região do Alentejo Litoral das ferramentas técnicas e dos instrumentos jurídicos e de ordenamento do território que permitam enfrentar, com sustentabilidade e horizonte de futuro, os problemas que vão ser colocados pelas alterações climáticas. Porque ao contrário do que alguns "pseudo-líderes" mundiais dizem, o clima está mesmo a mudar – para pior! – e o novo século (2100) já não está assim tão distante…

2. Na noite de 6 de Maio a escuridão trouxe a tragédia ao portinho de pesca da Azenha do Mar, onde seis pescadores viram as suas embarcações parcial ou totalmente destruídas pelas chamas de um incêndio com origem desconhecida. O prejuízo ronda os 100 mil euros e pode mesmo obrigar alguns destes profissionais a abandonar o seu ofício, com todos os impactos negativos daí decorrentes. Daí o apelo: que todos possam contribuir para a campanha de solidariedade a decorrer [ver página ao lado]. Por mais pequena que seja a dádiva, será sempre inestimável.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - terça, 16/07/2019
Prémio de arquitectura
para casa em Alcácer
A "Casa 3000", concebida pelo arquitecto Luís Rebelo de Andrade e situada na Herdade da Considerada (Alcácer do Sal), foi distinguida nos prémios de arquitectura "Architizer A+", na categoria "Conceitos-Plus-Arquitectura + Cor".
07h00 - terça, 16/07/2019
BE acusa CIMAL de não
implementar PART na região
O Bloco de Esquerda (BE) do Alentejo Litoral acusa a Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL) de ter defraudado as expectativas dos cidadãos, dado ainda não ter colocado em prática o Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART) nos transportes públicos da região.
07h00 - terça, 16/07/2019
Obras no estacionamento
da praia de Melides
A Câmara de Grândola já concluiu as obras de requalificação do parque de estacionamento da praia de Melides, investimento avaliado em cerca de 85 mil euros e que decorreu no âmbito da estratégia de melhoramentos dos apoios a esta zona balnear.
07h00 - segunda, 15/07/2019
Alcácer do Sal
tem novo Conselho
de Segurança
O novo Conselho Municipal de Segurança (CMS) de Alcácer do Sal tomou posse no final da passada semana, tendo por objectivos "promover a articulação, a troca de informações e a cooperação" entre entidades locais ligadas à área.
07h00 - segunda, 15/07/2019
Balcão Único de Odemira
assinala nove anos de existência
O Balcão Único (BU) da Câmara de Odemira assinalou, na passada sexta-feira, 12 de Julho, nove anos de existência, sendo que actualmente conta com uma média de 10 mil atendimentos a munícipes por ano.

Data: 05/07/2019
Edição n.º:
Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial