15h06 - quinta, 26/03/2020

O maior desafio das nossas vidas!


Carlos Pinto
As últimas duas semanas foram tão avassaladoras quanto bizarras. De um dia para o outro as nossas rotinas foram totalmente viradas do avesso por um vírus que começou por estar no lado oposto do mundo mas que, pouco a pouco, se foi aproximando até se tornar num verdadeiro "garrote" à vida a que todos estávamos habituados. Palavras como "quarentena", "cordão sanitário", "isolamento profiláctico" ou "gel desinfectante" tornaram-se recorrentes no nosso léxico, ao mesmo tempo que hábitos como ir ao cinema, visitar um museu, estar na esplanada ou simplesmente ver um jogo de futebol (até do campeonato distrital ou do Inatel) ao vivo se evaporaram das nossas agendas.
Pois bem… este é o tempo da Covid-19! O tempo de um vírus que começou, alegadamente, no mercado de animais vivos de um longínqua cidade chinesa e que é hoje a maior ameaça à humanidade como a conhecemos até agora. Maior que todos os confrontos bélicos que subsistem um pouco por todo o globo. Por isso mesmo, este tempo constitui, em simultâneo, o maior desafio que – muito provavelmente – enfrentaremos ao longo das nossas vidas.
Desde logo um desafio enquanto cidadãos e parte integrante de uma comunidade. Um desafio que nos exige responsabilidade, respeito pelas regras e solidariedade para com o próximo (o que também passa pelo cumprimento das normas que têm vindo a ser impostas pelas autoridades de saúde e pelo Governo). Este é também o tempo em que temos de demonstrar que vivemos numa sociedade democraticamente madura, capaz de se manter em funcionamento apesar das necessárias restrições e que não falhará no apoio a nenhum dos seus cidadãos.
Mas este tempo é, ainda, um enorme desafio para o espírito empreendedor de cada, para a nossa capacidade de sacrifício e de inovação. Porque a seguir ao vírus (que acabará por desaparecer, seja com o passar do tempo ou com uma nova vacina) virá uma crise económica. Dura, severa e inimaginável há apenas 15 dias. E nessa altura teremos de estar todos preparados para tomar as medidas necessárias e agir com firmeza para evitar a derrocada de tudo o que foi construído – com muito esforço de todos – nestes últimos anos.
Em suma, e apesar de estarmos em plena Primavera, avizinham-se "dias de Inverno". Sombrios seguramente, mas também – cremos – de enorme esperança. O desafio é de todos. Saibamos estar à sua altura…



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

09h00 - segunda, 25/05/2020
Freguesia
de São Luís sem
médico há meses
A Junta de Freguesia de São Luís, no concelho de Odemira, está indignada pela falta de profissionais de saúde na Extensão de Saúde local, sendo que de momento a freguesia não conta com médico, enfermeiros ou sequer serviços administrativos.
07h00 - segunda, 25/05/2020
Plataforma pelas Artes
nasce no concelho de Odemira
A vila de Odemira foi um dos "palcos", na passada quinta-feira, 21, da vigília pelas artes e cultura em Portugal, numa iniciativa da qual acabou por nascer a Plataforma Cultura e Artes Odemira, que junta diversos artistas residentes no concelho.
07h00 - segunda, 25/05/2020
Centro ampliado
em Água Derramada
A Câmara de Grândola já tem concluídos os trabalhos de ampliação do Centro Comunitário de Água Derramada, equipamento social inaugurado em Abril de 2018.
07h00 - segunda, 25/05/2020
Vítor Madeira
orienta U. Santiago
O União Sport Clube, de Santiago do Cacém, já começou a trabalhar na nova época de 2020-2021, sendo Vítor Madeira o novo treinador da equipa sénior.
08h00 - sexta, 22/05/2020
Vereadora Deolinda Seno Luís: "Era incompreensível Odemira não ter CLDS"
Em entrevista ao "SW" a vereadora Deolinda Seno Luís, responsável pelo pelouro da Intervenção Social na Câmara de Odemira, explica a importância de o concelho ter, pela primeira vez, um Contrato Local de Desenvolvimento Social no seu território.

Data: 22/05/2020
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial