12h27 - quinta, 28/11/2019

Continuar a trabalhar para combater a SIDA


Helena Sarmento
Passados mais de 30 anos do início da epidemia da infeção VIH/SIDA, talvez tenhamos a tentação de pensar que a situação está controlada e que podemos cruzar os braços no que diz respeito às medidas de prevenção. Mas esta não é a verdade.
Ainda que o número de infeções tenha reduzido significativamente, segundo os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) referentes a 2018, percebermos que há 37,9 milhões de pessoas que vivem com o VIH, sendo que 1,7 milhões são infeções de novo (em 1997 atingimos o pico de 2,9 milhões). Ainda há caminho a percorrer para atingirmos as metas definidas pela OMS dos 90-90-90 para 2020, isto é, 90 por cento das pessoas que vivem com o vírus estarem diagnosticadas, 90 por cento dessas em tratamento e dos que estão em tratamento 90 por cento com carga viral indetetável.
Em Portugal, o panorama é mais animador e parece-nos estarmos a atingir as metas. Assim, nos dados nacionais referentes a 2017, 91,7 por cento das pessoas que vivem com o vírus estão diagnosticadas, 86,8 por cento dessas estão em tratamento e 90,3 por cento têm carga viral indetetável. Mas não podemos parar por aqui, até porque novas metas estão lançadas: os 95-95-95 até 2030!
Temos de continuar a apostar na prevenção, de modo a que as pessoas infetadas se possam proteger a si mesmas e proteger os outros. É importante o diagnóstico precoce, disponibilizando testes de rastreio, sem que haja lugar a qualquer tipo de discriminação ou de estigma. Hoje, felizmente, há a possibilidade de fazer esses testes nos serviços de saúde, nos CAD (Centros de Aconselhamento e Deteção Precoce), em muitas organizações da comunidade e, mais recentemente, de os adquirir nas farmácias de ambulatório.
Não é demais salientar a importância dos diagnósticos precoces, até porque apesar do número de infeções em Portugal ter diminuído significativamente, a taxa de diagnóstico tardio da doença é no nosso país uma das mais altas da União Europeia. De referir ainda a necessidade do rastreio de outras infeções que muitas vezes acompanham esta, como as hepatites B e C, para além de outras de transmissão sexual. É importante a educação para a saúde, estimulando práticas de sexo seguro e novas modalidades de prevenção (como a Profilaxia pré-exposição - PrEP; Profilaxia pós Exposição – PEP; o uso de material esterilizado no consumo de drogas endovenosas; etc.).
Não podemos parar de divulgar informação correta, dirigida a toda a população e, sobretudo, aos jovens e às populações mais vulneráveis. É importante que os profissionais de saúde vão atualizando os seus conhecimentos nesta área, apostando na sua formação contínua, ficando assim habilitados para o aconselhamento pré e pós testes de rastreio, tendo sempre em vista o maior respeito pela dignidade e direitos da pessoa.
O lema deste ano para o Dia Mundial de Luta Contra a SIDA, que terá lugar a 1 de dezembro, é: "As comunidades marcam a diferença". Este lema parece-me muito oportuno pelo reconhecimento do papel que as comunidades desempenham na resposta à infeção pelo VIH, fazendo-nos cair na conta de que este problema e a sua solução não passa só pelos serviços médicos especializados.
O desafio do controlo da infeção está lançado a todos. Vamos trabalhar juntos e tornar realidade o sonho de pôr "stop" à infeção! Vamos, profissionais de saúde e comunidade, marcar a diferença!



Outros artigos de Helena Sarmento

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - terça, 27/07/2021
Ministra da Coesão inaugurou
espaço de coworking em Odemira
A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, inaugurou nesta segunda-feira, 26, o novo espaço de coworking de Odemira, instalado no Centro de Investigação e Inovação.
07h00 - terça, 27/07/2021
Politécnico de Setúbal
vai abrir escola em Sines
O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) e a Câmara de Sines assinaram nesta segunda-feira, 26, um protocolo de colaboração, visando a instalação de uma escola superior na cidade do Alentejo Litoral.
07h00 - terça, 27/07/2021
OP de Odemira com
51 propostas em 2021
Um total de 51 propostas de investimento público foram apresentadas pela população do concelho de Odemira no âmbito do processo do "Orçamento Participativo" (OP) de 2021, 22 das quais para o processo promovido pela Câmara Municipal e as restantes 29 para os processos das freguesias.
07h00 - segunda, 26/07/2021
PS apresenta
candidatos no
concelho de Odemira
A candidatura "Por Odemira", do PS, apresenta nesta segunda-feira, 26, os seus candidatos no concelho nas próximas eleições Autárquicas, assim como "as principais linhas" do programa eleitoral com que vai a votos.
07h00 - segunda, 26/07/2021
André Filipe Costa
venceu a Ultra
Maratona Atlântica
O atleta André Filipe Costa, inscrito como individual, foi o grande vencedor da 16ª edição da Ultra Maratona Atlântica Melides-Tróia, promovida pela Câmara de Grândola na manhã deste domingo, 25.

Data: 16/07/2021
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial