11h59 - quinta, 07/05/2020

Uma nova oportunidade


Carlos Pinto
Há anos que grande parte do comércio tradicional/ local enfrenta dificuldades, seja em Lisboa e no Porto, seja em Macedo de Cavaleiros ou em Odemira. Primeiro foram as grandes superfícies a levar parte dos clientes, atraídos pela farta iluminação e pela possibilidade de conciliar um passeio com a aquisição dos produtos que necessitava. Depois veio a massificação das vendas online, em que através do computador se pode comprar o último grito da moda ou da tecnologia nos EUA ou Japão e esperar, comodamente, pela sua entrega em casa. E enquanto tudo isto acontecia, o movimento nas lojas de bairro ou dos centros das vilas e aldeias começou a definhar, lenta mas inexoravelmente (nem sequer os saldos já ajudavam), salvo as excepções em que os comerciantes se souberam reinventar ou em que a qualidade dos artigos disponíveis superava os "atractivos" da concorrência.
É num quadro de crise generalizada do comércio local/ tradicional que a pandemia da Covid-19 surge como… uma oportunidade! Seguramente que as compras online serão cada vez mais uma opção de todos nós, mas também é certo que demorará bastante tempo até podermos frequentar uma grande superfície comercial com tranquilidade e sem necessidade de tantas restrições à circulação. E este último dado constitui uma excelente ocasião para o comércio das nossas vilas e aldeias ganhar novo fôlego.
Tal sucederá se, por um lado, houver capacidade destas lojas e comerciantes se adaptarem às novas exigências dos clientes, seja nos produtos que são disponibilizados, seja, sobretudo, na forma de atendimento e de relacionamento. E, por outro lado, é preciso igualmente que todos nós, consumidores, tenhamos noção da importância – mais ainda neste momento – de frequentarmos (e privilegiarmos) o comércio local.
Se o fizermos estaremos a ajudar directamente a economia local e, por consequência, a nós próprios. É uma lógica simples de compreender… e de concretizar. E se assim for, esta crise será bem menos profunda do que todos tememos.



Outros artigos de Carlos Pinto

COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - quarta, 30/09/2020
Governo apresenta
Plano Estratégico
do Porto de Sines
O ministro das Infra-estruturas e da Habitação vai estar nesta quarta-feira, 30, em Sines, na sessão pública de apresentação do Plano Estratégico do Porto de Sines, que vai decorrer a partir das 10h00 no auditório da Administração dos Portos de Sines e do Algarve (APS).
07h00 - quarta, 30/09/2020
Acção judicial avança em
defesa do Parque Natural
O movimento de cidadãos "Juntos pelo Sudoeste", juntamente com a Associação Foz do Mira, apresentou, na passada semana, uma acção judicial no Tribunal Administrativo e Fiscal de Beja, no sentido de garantir a defesa dos valores do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV).
07h00 - quarta, 30/09/2020
João Morgado é o
vencedor do prémio
"Manuel da Fonseca"
João Morgado, da Covilhã, venceu a 13ª edição do Prémio Nacional de Conto "Manuel da Fonseca",promovido pela Câmara de Santiago do Cacém, com a obra Contos de Macau.
07h00 - terça, 29/09/2020
ABC de Santo André
na 1ª divisão nacional
de basquetebol
A equipa do Atlético Basquete Clube (ABC) de Santo André? venceu no domingo, 27, os Salesianos do Estoril por 75-60, garantindo a subida ao campeonato nacional da 1ª divisão da modalidade.
07h00 - terça, 29/09/2020
Alcácer do Sal
mantém IMI mais baixo
do distrito de Setúbal
A Câmara de Alcácer do Sal vai manter em 2021 a taxa de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) nos 0,3% para os prédios urbanos, naquele que é o valor mais baixo praticado pelas autarquias em todo o distrito de Setúbal.

Data: 18/09/2020
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial