06h00 - terça, 24/07/2018

Associação Arbutus
traça novos desafios

Associação Arbutus traça novos desafios

Continuar a desenvolver a marca "Medronho SW" como pilar fundamental para a divulgação e promoção do medronho do concelho de Odemira é uma das metas traçadas pelo novo presidente da Arbutus-Associação para a Produção de Medronho. Afonso Pereira, de 35 anos, foi eleito no passado dia 4 de Junho, sucedendo no cargo a António Ramos, e a sua equipa directiva quer trabalhar para a afirmação do sector.
Nesse sentido, além de "continuar a desenvolver a marca 'Medronho SW' como um dos pilares fundamentais para a divulgação e promoção do medronho do concelho de Odemira e de todos os produtores de concelhos limítrofes que se queiram associar", a associação vai também "consolidar uma estratégia de fidelização" dos seus associados, "desenvolvendo uma comunicação eficiente e relevante para todas as partes e, ao mesmo tempo continuar a fazer crescer o número de associados".
Afonso Pereira revela que a Arbutus pretende igualmente "implementar com sucesso" o projecto "Inov@s Fileiras". "Este projecto passa, essencialmente, pela criação de uma plataforma de comunicação sólida entre os diferentes produtores de medronho a nível nacional e outras partes interessadas, como sejam universidades, centros de investigação, centros de transformação e outros. Ao mesmo tempo o projecto está bastante focalizado na disseminação e partilha de informação sobre metodologias inovadoras de produção e transformação do medronho e do medronheiro", explica.
Este responsável, radicado em São Miguel (São Teotónio) e também ele produtor de medronho, reconhece que a actividade de produção da aguardente de medronho "tem vindo a crescer nos últimos anos", ainda que longe dos níveis verificados "há 40 ou 50 anos". "Os elevados níveis de impostos que se pagam actualmente para a produção de álcool têm e tiveram um efeito real sobre esta questão. Mas não só. A desertificação dos meios rurais também tem vindo a contribuir para isso. Talvez agora com uma nova dinâmica no sector agrícola se verifique de facto um crescimento sustentado para a fileira do medronho", afirma.
Na opinião de Afonso Pereira, o crescimento do sector do medronho "irá passar necessariamente pela diversificação das utilizações do fruto e do próprio medronheiro". "A aguardente de medronho continuará a ser sempre um destino muito apetecido para o fruto, até porque a qualidade da aguardente de medronho é de facto espectacular", observa. "No entanto, na minha opinião, o verdadeiro potencial do fruto está no consumo em fresco, desidratado ou outro. Hoje está comprovado que o medronho é um dos 'super-frutos', extremamente rico em vitaminas e outros anti-oxidantes. Se soubermos aproveitar esta oportunidade, a potencialidade do fruto é de facto enorme", acrescenta.
A Arbutus – Associação para a Produção de Medronho nasceu em 2015 e a evolução tem sido, na opinião do seu presidente, "muito positiva". "Digo isto porque os primeiros são sempre os anos mais importantes de qualquer projecto ou associação. São anos de afirmação. E portanto, é durante esta fase que se percebe verdadeiramente se um projecto fica pelo caminho ou se ele tem condições para seguir em frente e crescer.  No caso da Arbutus, esta experiência inicial permitiu-nos verificar na prática todo o interesse e potencial que esta fileira apresenta", argumenta Afonso Pereira.
De acordo com o presidente da associação, ao longo destes três anos a Arbutus somou várias "vitórias", desde o estabelecimento de inúmeras parcerias institucionais relevantes à aprovação da candidatura a fundos comunitários para o projecto "Inov@s Fileiras".
Afonso Pereira destaca ainda o facto de, nestes três anos, o número de produtores de aguardente de medronho no concelho estar a crescer. "Actualmente já são mais de 10 o número de produtores de aguardente com marca própria e a tendência é para esse número continuar a crescer. Para isto muito têm contribuído as diversas iniciativas municipais de incentivo à legalização de destilarias. Este caminho que tem vindo a ser traçado pelo Município de Odemira é fundamental para o crescimento da actividade e deve continuar a ser seguido", conclui.


COMENTÁRIOS

* O endereço de email não será publicado

07h00 - quinta, 23/06/2022
Detido por
tráfico de droga
em Milfontes
Um homem de 27 anos foi detido, no domingo, 19, pela GNR por suspeitas da prática do crime de tráfico de estupefacientes em Vila Nova de Milfontes, no concelho de Odemira.
07h00 - terça, 21/06/2022
Alemão que incendiou
Fluvial Odemirense condenado
O alemão acusado de furto e incendiar as instalações do Clube Fluvial Odemirense, em Odemira, em outubro de 2021, foi condenado nesta segunda-feira, 20, no Tribunal de Beja, a seis anos e seis meses de prisão.
07h00 - segunda, 20/06/2022
Odemirense
sagra-se campeão
distrital da 2ª divisão
A equipa do Odemirense conquistou neste fim-de-semana o título de campeão distrital da 2ª divisão em 2021-2022, depois de já ter garantido o regresso ao "Distritalão" na próxima temporada.
07h00 - segunda, 20/06/2022
Mar "inspira" novos
negócios no Alentejo Litoral
Cada vez mais negócios na costa alentejana tiram proveito do mar e atraem turistas à procura de novas aventuras.
07h00 - segunda, 20/06/2022
Utentes exigem
obras na Extensão
de Saúde de Milfontes
A falta de profissionais e a degradação da Extensão de Saúde de Vila Nova de Milfontes, em Odemira, são criticadas pela comissão de utentes do concelho, que aproveitou a realização da FEITUR para sensibilizar a população para estes problemas.

Data: 17/06/2022
Edição n.º:

Contactos - Publicidade - Estatuto Editorial